A MONTAGEM DO LABORATÓRIO 

Ventilação   |   Projeto e lay-out de um laboratório seguro

A montagem de um laboratório deve incluir todos os requisitos de segurança. Mesmo detalhes devem já ser previstos no projeto inicial, evitando futuras alterações na montagem final. Assim, itens como a topografia do terreno, orientação solar, ventos, segurança do edifício e do laboratorista, situação e tipo das bancadas, capelas, estufas, muflas, o tipo do piso e sua cor, material de revestimento das paredes e sua cor, iluminação artificial e ventilação devem ser especificamente dirigidas ao tipo de laboratório que se quer construir.

Deve ser dada ênfase na construção em separado do almoxarifado para armazenamento de substâncias químicas para que estas não sejam conservadas no laboratório, evitando o congestionamento das bancadas possíveis acidentes.

As instalações das capelas devem ficar convenientemente situadas para assegurar que operações perigosas não sejam desenvolvidas em bancadas abertas. As capelas devem estar providas com os serviços usuais (gás, eletricidade, água, vácuo, ar comprimido) operáveis do lado externo.

Em um laboratório deve-se conter os seguintes aspectos:

ü   Área quente: nesse local ficam situadas as capelas, muflas, estufas, mantas de aquecimento, maçaricos e bicos de Bunsen, e o laboratorista deve ficar o menor tempo possível nessa área, pois o perigo de explosões e incêndios é muito grande;

ü   Área de armazenagem: este setor do laboratório deve estar afastado da parte operacional do laboratório, evitando-se contato freqüente dos laboratoristas com substâncias puras e possíveis intoxicações;

ü   O piso deve ser construído com material resistente tanto mecânica como quimicamente; não deve haver diferenças no nível no piso. As paredes devem ser revestidas com material resistente quimicamente e oferecer facilidade de limpeza; devem ser claras, de cores repousantes e foscas;

ü   Deve haver no mínimo duas portas afastadas o mais possível entre si e abrindo sempre para fora. As janelas são necessárias, pois o laboratório deve ser um local convenientemente iluminado, e deve conter um sistema de controle de raios solares (persianas metálicas, nunca cortinas);

ü   As bancadas devem ser posicionadas de forma que a luz natural incida nelas lateralmente para que não ocorra sombra sobre a bancada e para que a luz não incida diretamente aos olhos do laboratorista. A distância entre duas bancadas é muito importante para que haja livre tráfego de carrinhos de vidraria, minimizando o risco de choques com os laboratoristas;

ü   Chuveiro e lavador de olhos: devem ser posicionados junto às capelas e o mais próximo possível da saída, caso haja necessidade de, além da lavagem completa e abundante do corpo, de um atendimento de primeiro socorro afastado da área contaminada;

 

  

Extintores de incêndio: devem ser colocados vários extintores de incêndio pelo laboratório, o mais afastados entre si, e com fácil acesso. É preferível 2 extintores com 4 kg de CO2 em lugar de 1 com 6 kg (isso facilita o transporte).

1.      VENTILAÇÃO

Variam desde daquelas que possuem facilidades bem projetadas e montadas até aqueles que consistem de um só cômodo que foi designado como laboratório. A necessidade de ventilação desses diferentes tipos de laboratórios variará desde fornecimento de um simples conforto como a eliminação de vapores tóxicos. O laboratório será beneficiado pelo sistema de ventilação que controla a temperatura, umidade, e concentração de substância odoríferas no local; apesar do custo para a melhoria das condições atmosféricas ambientais dos laboratórios serem elevados, as considerações sobre eles nunca devem passar pôr cima da segurança.  Um sistema de ventilação inadequado pode ser pior que sua ausência pôr passar aos laboratoristas um falso sentido de segurança.

A ventilação geral ou diluidora consiste na movimentação de quantidades relativamente grande de ar através de espaços confinados. Ela pode ser fornecida por exaustão, insuflação, ou combinação entre elas; pode ser natural e mecânica. Visa principalmente o conforto dos laboratoristas  e fornecer um suprimento de ar que será exaurido por uma série de equipamentos auxiliares. Esta ventilação fornece uma modesta proteção contra poeiras, gases e vapores principalmente de eles são liberados em quantidades significantes.

A ventilação local exaustora tem como objetivo principal a proteção à saúde do trabalhador, pois faz a captação do poluente direto na fonte, antes de atingir a zona de respiração. Esse tipo de ventilação ;tem os seguintes componentes: o captor, os dutos de transporte, um ventilador, e um filtro ou sistema de retenção aos poluentes.

O tamanho da sala e sua geometria ou configuração, assim como a velocidade, e volume de ar que entra, afeta padrões de ar da sala . Fluxo laminar deve ser projetado de forma dirigir o ar limpo sobre o pessoal e varrer o ar contaminado para fora da zona de respiração.

2.      PROJETO E LAY-OUT DE UM LABORATÓRIO SEGURO

ü      PROJETO CIVIL

Numa unidade industrial moderna, a localização de um laboratório é estudada levando-se em conta o seu posicionamento em relação à produção, para facilitar o recebimento de amostras e o envio de resultados. Deve-se levar em conta também o posicionamento da exaustão dos gases das capelas no telhado, pois as correntes de ar poderão conduzi-los para as janelas de outros prédios. 

Depois desses aspectos observados, parte-se para definir as dimensões requeridas para as atividades (faz-se um estudo quanto aos tipos e números de análises que serão executadas, para determinar os aparelhos e o número de funcionários). A partir desses dados, pode-se estimar as medidas ideais do laboratório para que tudo em seu interior esteja sob suas devidas segurança.

O projeto civil deve levar em conta os fatores primordiais em um ambiente de laboratório, pois sempre haverá exalação de vapores, névoas, partículas, etc. Portanto, no projeto o sistema de exaustão, as capelas e o sistema de ar devem ser projetados com muito conhecimento técnico.

A localização dos extintores, da chave-geral e equipamentos de proteção coletiva como chuveiros, lava-olhos e mantas também devem ser analisadas.

  

ü      PROJETOS HIDRÁULICOS E ELÉTRICO 

O principal aspecto que deve ser observado aqui é que os produtos que serão manuseados devem visar principalmente o projeto de esgoto. O consumo de água, vapor e GLP dependerá de instrumentação que será utilizada.

O projeto elétrico levará em conta o consumo de energia requerido para os equipamentos, aquecedores, bem como ar condicionado e sistema de exaustão.

 

Levados em conta todos os pontos vistos anteriormente, certamente o laboratório que visamos construir estará em condições perfeitas de segurança e trabalho.